sábado, 28 de março de 2009

Miguel Angelo

Tinha entrado na Academia, em Florença para me deslumbrar com estátuas inacabadas.
Depois, ao vê-lo, quase que sufoquei de emoção.
Como foi possível produzir tal forma com um bloco de mármore tão estreito?!
E como é belíssimo esse mármore, sem manchas nem outra qualquer imperfeição...
David, de Miguel Angelo, Abril de 1973.

7 comentários:

Carlos disse...

Bom dia Amiga.

O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intencidade com que acontecem. Assim, há momentos inesqueciveis, coisas inexplicaveis e pessoas incomparáveis como tu.

beijinhos

Marina disse...

Creio que muitos acontecimentos da vida podem ser tudo isso, só depende da importância que lhes damos no momento...
Obrigada pela visita e pelo comentário.
Bom fim de semana Carlos.
Beijinhos

coxa e marreca disse...

Nunca vi ao vivo, só em fotografias ou reproduzido em horríveis estatuetas.

Marina disse...

Pois é pena.
As fotografias por vezes são das cópias que há nas praças, mesmo em Florença.
Mas as estátuas inacabadas são uma verdadeira lição sobre escultura em pedra.

coxamarreca obrigada pelo comentário

Regiane disse...

Olá Marina
Obrigada pela visita!
Que emoção ver estas obras...
Um abraço
Regiane

mili disse...

Marina, como pessoa sensível que és, só poderias ter essas emoções.

Marina disse...

Regiane
Obrigada pela visita
Um abraço


Mili
Obrigada...